FAQ - Perguntas Frequentes | Fernanda Filippini

Os Arquétipos e o Inconsciente Coletivo

O inconsciente coletivo é um conceito trazido pelo psicólogo suíço Carl Jung, onde todas as experiências de vida das pessoas (minhas experiências, suas, do vizinho, etc) ficam armazenadas numa grande biblioteca. E é neste “mar” de informações que os arquétipos estão inseridos.

O arquétipo é o modelo padrão de tudo que existe, são imagens primordiais que vem do inconsciente coletivo.

Por exemplo, temos o arquétipo da mãe, o arquétipo do executivo, do esportista, da cadeira, etc., quando falamos estas palavras, imediatamente trazemos estes modelos na mente.

Os arquétipos contidos nos oráculos retratam situações que eu, você e todos nós passamos, estamos passando ou passaremos em algum momento de nossas vidas.

Os oráculos funcionam através da sincronicidade, outro conceito de Jung, que explica que tudo no Universo está interligado por algum tipo de vibração. As dimensões física e não física estão em algum tipo de sincronia, chamadas coincidências.

Jung acreditava que as coincidências poderiam ser entendidas como fenômenos psíquicos (pensamentos/eventos) que poderiam acontecer simultaneamente, mesmo que estivessem fisicamente distantes.

Por exemplo, você está pensando em sua amiga Ana, e logo depois ela te liga ou entra em contato.

Resumindo, tudo está gravado no inconsciente coletivo, e quando abrimos um oráculo com a intenção de receber uma orientação, nós captamos aquela informação por sincronicidade.

Os oráculos atuam como um ponte entre o consciente e o que está oculto dentro de nós.

Published On: 6 de dezembro de 2022Categorias:

Compartilhe este artigo!

Categorias

Fernanda Filippini

Fernanda Filippini

Trabalho com oráculos há mais de 25 anos e criei meu próprio método de ensino para formar um profissional completo. Sou Oraculista, Professora e Mentora de Tarot, Baralho Cigano e Runas Nórdicas.